Após beijo gay do BBB e Lei de proibição à publicidade LGBTQI+ Instagram assume erro em bloquear publicações

Ouça essa notícia

Gil e Fiuk. Reprodução da internet

Após o paredão deste domingo (25), Fiuk e Gil pularam na piscina pelados e ainda se beijaram para comemorar a volta da berlinda. Esse momento viralizou na internet em segundos e foi levantada a bandeira da representatividade dentro do veículo. Entretanto, o Instagram começou a bloquear as postagens que exibiam esse momento. Frente a esse fato, a plataforma foi taxada de quadrada e recebeu inúmeras declarações de desapontamento, inclusive do apresentador Tiago Lifert.
O apresentador intimou a plataforma dizendo que ele ia falar novamente sobre o beijo mesmo que ela a bloqueasse como já havia feito.

Pegando esse gancho, na semana passada foi exibido o projeto de Lei da Deputada Marta Costa do PSL, 504/20, onde a parlamentar solicita a proibição de veiculação publicitária que envolva alusão a preferências sexuais e movimentos sobre a diversidade sexual relacionadas a crianças dentro dos veículos de comunicação do Estado de São Paulo. Ou seja, ela pede pela não veiculação de casais homoafetivos nas telas paulistanas, como esse momento de Fiuk e Gilberto.

Como justificativa, a parlamentar ainda destacou que a publicidade da comunidade leva “desconforto emocional a inúmeras famílias” e “práticas danosas” às crianças. Filha do pastor José Wellington e ligada à Assembleia de Deus, Marta entende que a proibição será um meio de “evitar a inadequada influência na formação de jovens e crianças”.

Muitos veículos da comunicação, como a CNN Brasil, Cartoon Network, WarnerMedia, Havaianas, Coca-Cola e PepsiCo repudiaram a ação da Deputada e levantaram a bandeira colorida abraçando a comunidade LGBTQIA+ e se colocando contra o Projeto de Lei. Foi usada a hashtag #LGBTnãoémáinfluência, nas redes sociais.

O projeto de lei ainda precisa ser votado,

Mas porquê você está falando isso?

Porquê depois de toda repercussão das empresas em relação à Lei, como a Unilever, CNN Brasil e outras mais usarem em seus logos a cor da causa abraçada, a assessoria do Instagram, procurada pelo Metrópoles, decidiu enviar uma nota à coluna, onde diz reconhecer o erro em ter bloqueado as imagens dos brothers e que iria reativar os posts antes cancelados, com o intuito de se redimir e assumir o erro cometido.

Saiba mais:

Compartilhe