CRISTIANO RONALDO AFASTA COCA-COLA EM COLETIVA E EMPRESA PERDE 4 BILHÕES NO MERCADO FINANCEIRO

Ouça essa notícia
Reprodução da Internet - Cristiano Ronaldo em coletiva de imprensa.

Na última segunda-feira (14/6), Cristiano Ronaldo participou de uma coletiva antes da partida entre Portugal e Hungria, pela Eurocopa, e neste momento provocou um ato que gerou prejuízo para a marca de refrigerantes.


Patrocinadora oficial da Seleção de Portugal, a Coca-Cola teve uma queda brutal no mercado após o gesto “consciente” de Cristiano Ronaldo.

O jogador removeu duas garrafas de Coca-Cola da sua frente e trouxe a de água mais para perto. Imediatamente após, pegou uma garrafa de água, olhou para as câmeras e destacou a diferença entre os líquidos.

O gesto de Cristiano Ronaldo durante uma coletiva de imprensa pode ter causado prejuízo à empresa que, segundo o jornal espanhol “Marca”, perdeu 4 bilhões de reais em ações no mercado financeiro logo após a transmissão da entrevista.


Segundo o jornal espanhol, pouco antes do gesto do atacante português, as ações da Coca-Cola estavam custando US$ 56,10. Cerca de meia hora depois, quando Cristiano Ronaldo deixou a sala de entrevista, o preço de uma ação tinha atingido um valor mínimo de US$ 55,22, provocando uma desvalorização muito grande.


A atitude do jogador, que sempre que teve oportunidade enalteceu uma alimentação saudável, pode ter desencadeado uma queda de 1,6% da Coca-Cola na Bolsa de Valores.

Segundo o periódico espanhol, em termos econômicos, a empresa perdeu US$ 4 bilhões com isso, saindo de US$ 242 bilhões para US$ 238 bilhões.


Em entrevista no ano passado, Cristiano Ronaldo já havia criticado o consumo de refrigerantes ao comentar sobre a alimentação de seu filho mais velho, Cristiano Ronaldo Júnior, de 10 anos. “Sou duro com ele, às vezes, porque ele bebe Coca-Cola e Fanta. Eu fico irritado com ele quando ele come batata frita e tudo o mais, e ele sabe que eu não gosto. Até meus filhos menores, quando eles comem chocolate, sempre olham para mim”, disse o craque português.


A Coca-Cola é parceira de longa data da Uefa e patrocina a Eurocopa desde 1988. São nove edições seguidas, incluindo a atual, e é comum ela colocar sua bebida ao lado dos microfones durante as entrevistas coletivas de técnicos e jogadores.


Segundo o canal “Terra”, a empresa de refrigerantes foi procurada, mas informou que não iria se manifestar. Já a Uefa não respondeu aos pedidos da reportagem.

Compartilhe