Depois do telegrama, Luísa Sonza é processada pela produtora

  • Paradinha
Ouça essa notícia

Luísa Sonza. Foto: Reprodução da internet

Desde que a LuÍsa Souza encerrou a parceria com a “Chantilly Produções”, a produtora vem se munindo de informações a seu favor para cobrar da funkeira o prejuízo que tiveram.

Segundo “O Dia”, a A Chantilly comprova que recebeu uma notificação da cantora desfazendo o acordo entre as partes no dia 1 de outubro de 2020, e alega ter sido surpreendida, uma vez que durante toda a pandemia atendeu as exigências de Luísa, arcando com os custos da estrutura montada para atender todos os interesses dela. A empresa afirma que ainda estava procurando alternativas de shows e firmando compromissos, tudo sem gerar qualquer ônus financeiro à cantora.

Segundo a produtora, o cachê da ex do Whindersson Nunes girava em torno de R$40 a R$60 mil. A Chantilly quer ser indenizada pelos shows não cumpridos da agenda de 2021, que seriam dia 25 de janeiro, em São Paulo, 15 de fevereiro, em Barretos, 6 de março, em Novo Hamburgo, 13 de março, em São Paulo, 5 de junho, em Uberaba, 9 de junho, em Brasília, 11 de junho, em Vinhedo e 26 de junho em Porto Alegre, com um total bruto de R$ 405 mil. A “Chantilly” ainda quer cobrar quase R$70 mil pendentes de comissões.

Ainda segundo a produtora, a cantora teria dado a palavra, ainda em 2020, se comprometendo a realizar os shows vendidos, mas não cumpriu. Com isso, a situação da loira se complica, pois a Chantilly tem todos os contratos firmados com os contratantes, que são provas de que houve o descumprimento dos shows. E segundo a coluna da Fábia Oliveira, a produtora irá cobrar os ônus no valor total de 470 mil reais.

Luísa ainda não recebeu a notificação do processo, mas ela que se cuide! Eu não queria estar na pele dela tendo que desembolsar essa quantia.

Compartilhe