Luísa Sonza volta em 1900 e encerra seu contato com agência por telegrama

  • Paradinha
Ouça essa notícia

Luísa Sonza. Foto: Reprodução da internet

E tem gente fazendo à antiga e terminando suas relações via carta!

A produtora Chantilly Produções, que mantinha contrato com a cantora Luísa Sonza desde 17 de julho de 2019, pede na justiça 470 mil em indenizações à moça!

Ela rompeu no dia 1 de outubro de 2020 o contrato com a empresa encerrando a parceria de trabalho através de um telegrama. A Chantilly comprova que recebeu uma notificação da cantora desfazendo o acordo entre as partes e diz ter sido surpreendida, visto que durante todo período de pandemia, em que a moça não estava realizando shows, atendeu as exigências de Luísa, arcando com os custos da estrutura montada para atender todos os seus interesses.

A empresa comentou que esteve o tempo todo procurando alternativas de shows e firmando compromissos, tudo sem gerar qualquer ônus financeiro à cantora. O cachê da musa girava em torno de R$ 40 a R$ 60 mil e à produtora quer ser indenizada pelos shows não cumpridos da agenda de 2021, que seriam dia 25 de janeiro, em São Paulo, 15 de fevereiro, em Barretos, 6 de março, em Novo Hamburgo, 13 de março, em São Paulo, 5 de junho, em Uberaba, 9 de junho, em Brasília, 11 de junho, em Vinhedo e 26 de junho em Porto Alegre, com um total bruto de R$ 405 mil.

Com Luisa não tendo cumprido com a agenda programada devido à restrições de distanciamento social, aguardamos o desenrolar dessa treta judicial.

Compartilhe