Ministério Público acata denúncia contra Fontenelle, Mendigo e Netinho

Ouça essa notícia
Foto: Reprodução Internet.

Após seis meses, o Ministério Púbico de São Paulo oficializou o recebimento da denúncia do suplente de Deputado Estadual e ativista dos direitos LGBTI+, Agripino Magalhães, contra Antônia Fontenelle, Carlos Silva, o Mendigo, e o cantor baiano Netinho. O trio pode responder ao processo criminal de LGBTfobia e de racismo. Eles podem pegar até oito anos de prisão.

Antônia, Mendigo e Netinho foram intimados à prestarem depoimentos nos próximos dias e em datas diferentes para apresentarem suas respectivas defesas.

A denúncia contra Netinho é em relação à publicação no Instagram e Facebook, em que o cantor diz que ‘se esse pessoal LGBT não vivesse de acordo com o fiofó, pensando com o fiofó, o Brasil ia ser maravilhoso’. Já Mendigo usou uma foto de Thammy Miranda e seu filho, ao lado de um clique antes da mudança de sexo: “Prefiro ser órfão do que ser adotado por uma mulher operada que se passa por homem para ter o privilégio de adotar uma criança”, escreveu ele. 

Já a acusação para Antônia se refere ao comentário sobre a música ‘Fricote’ de Luiz Caldas: “Nega do cabelo duro, que não gosta de pentear… Hoje em dia não se pode falar nada porque ‘tudo é racismo’, ‘tudo ofende’ e ‘tudo mimimi’”, disse ela.

Agripino Magalhães irá comparecer na próxima terça-feira (16) na 15ª Delegacia de São Paulo (Itaim) para prestar depoimentos e esclarecimentos sobre o caso.

Compartilhe