MULHER DE CID MOREIRA REBATE AFIRMAÇÕES DO FILHO ADOTADO

Ouça essa notícia
Reprodução da Internet.

Na última quarta-feira (14/7), em resposta às declarações do filho adotivo de Cid, Fátima Sampaio, esposa do jornalista, compartilhou um vídeo nas redes sociais rebatendo comentários feitos por Roger. Na legenda, ela escreveu: “Bom dia! Eu vim [me manifestar] porque ele [Cid] não pode por questão de segredo de justiça. Então eu, que vivo há mais de 20 anos com ele, vou me pronunciar e colocar a minha visão da situação”.

Durante o vídeo, Fátima explica – apesar de ter convivido pouco com Roger – como ocorreu a adoção do rapaz e o desenrolar dos fatos. “Eu cheguei na vida do Cid em 2000, nos conhecemos no Ceará, inclusive, este rapaz estava com ele, mas não era adotado. Ele já estava separado há dois anos da tia deste rapaz… e antes de eu casar com Cid, os dois adotaram o Roger. Não é uma questão para mim julgar porque fizeram isso, mas ele já era adulto”, iniciou ela.

“Segundo o Cid me contou, o Roger o conheceu quando tinha 14 anos, quando o pai e a mãe vieram do sul visitar a irmã. À época, o Cid ajudou o pai e a mãe dele [Roger] a se instalarem em Jacarepaguá, em um apartamento do Cid. O pai do rapaz gostava muito de discos raros e o Cid conseguiu um lugar para ele trabalhar com isso, ele é muito bom nisso. Então, o Cid ajudou ele a montar uma loja no Leblon para sustentar a família. Mas parece que não deu certo e ele voltou para o Sul. Então parece que o Roger veio algumas vezes ele veio para cá para visitar, mas sempre ficou em outros lugares, não ficou todo o tempo morando com o Cid… e nisso foi crescendo”, continuou ela.

“Com o tempo ele [Roger] aprendeu a profissão de mixagem, gravava a voz do Cid… e acabei por conhecê-lo assim, em estúdio. Depois eu me casei com o Cid e nisso ele ficou morando com a gente por uns dois anos. E sim, o Cid montou o estúdio para ele ter um trabalho, mas o trabalho dele era de técnico, então ele dependia totalmente do Cid para continuar as atividades, então chegou um ponto que ficou caro manter o estúdio, então o Cid voltou a trabalhar em casa”, acrescentou.

Nos momentos seguintes, Fátima explicou que sem o estúdio Roger recorreu a uma tia, que tinha um salão de beleza. “Nessa o Roger foi trabalhar com uma tia dele, ele foi gerente desse salão. Ele também trabalhava fazendo megahair para estrelas de televisão. Por mais que a gente não tivesse muito contato com ele, nós acompanhávamos de longe. Enfim, por motivos deles que a gente não sabe ao certo, a tia encerrou a parceria com ele no salão… nessa ele foi à imprensa falar que ia colocar o Cid na Justiça… e o Cid não tinha mais relação nenhuma com a ex-mulher, a gente estava até fora do país quando saiu a notícia, foi constrangedor”, lembrou ela. 

“Por mais que a gente não falasse mais, sempre trocávamos e-mails, o Cid desejava felicidades e tal. Então assim, o Cid não abandonou um bebê, ele já era adulto, tinha pai e mãe”, completou Fátima Sampaio.

Compartilhe