Record é condenada a pagar R$30 mil por danos morais em caso do assassinato de Rafael Miguel

Ouça essa notícia

Record terá que pagar indenização a casal envolvido. Foto: Reprodução Internet

Eita que as coisas não estão legais para a Record, pelo menos na parte do jornalismo. A emissora terá que pagar R$ 30 mil de indenização por danos morais para um casal que foi envolvido por engano nas investigações do assassinato do ator Rafael Miguel e dos pais dele em 2019.

Na época, os telejornais da emissora mostraram a placa de um carro que pertencia a um casal como se tivesse sido o carro usado na fuga de Paulo Cupertino, o apontado como responsável pelo crime.
A decisão em primeira estância saiu no começo do mês, em sentença assinada pela juíza Laura de Mattos Almeida, da 29º Vara Cível de São Paulo. Segundo o Notícias da TV, que teve acesso ao documento, ao não borrar as informações da placa do automóvel a emissora cometeu “abuso no direito de informar”. O casal disse que as características do veículo deles foram exibidos em diferentes programas da emissora entre 10 a 18 de junho de 2019.
Na primeira vez não havia informações de que Paulo Cupertino teria clonado o veículo para fugir e com isso, de acordo com a defesa do casal, eles passaram a ser vistos como cúmplices pela vizinhança.

Compartilhe